Absenteísmo: o que é, porque acontece e como minimizar

Tempo de leitura: 10 minutos

O absenteísmo é uma realidade nas empresas e pode trazer muitos prejuízos, principalmente se ocorrer com frequência, por isso, é preciso entender bem a respeito do assunto para saber quais medidas tomar para minimizar esse impacto no ambiente organizacional.

Um alto índice de absenteísmo afeta diretamente a produtividade e o bom funcionamento da empresa, impedindo o cumprimento das metas estabelecidas e com isso, provavelmente afetando a sua lucratividade.

A seguir, vamos explicar o que é, o que leva a acontecer e o que fazer para minimizar esse índice.

Mas afinal, o que é o absenteísmo e quais são suas causas?

Absenteísmo vem do latim e significa ausente. A ausência e atraso de funcionários em uma empresa é um problema muito comum e difícil de ser controlado, mas existem formas de evitar ou pelo menos minimizar essa circunstância.

São muitos os motivos que levam a ocorrer o absenteísmo em uma empresa e essas faltas e atrasos podem ser justificáveis ou não.

Geralmente os motivos estão ligados a problemas de natureza pessoal/familiar, ambiental, social ou até mesmo relacionados ao próprio clima organizacional, ou seja, de causas internas.

Entre as possíveis causas estão:

– Doença pessoal ou doença na família;

– Acidentes de trabalho ou de trajeto;

– Doação de sangue;

– Participação em eleições (mesário);

– Licença maternidade;

– Feriados prolongados;

– Falta ou atraso não justificados.

Absenteísmo por clima organizacional

Se a motivação estiver ligada a condições de trabalho se torna mais simples contornar e será indicado entender a percepção dos funcionários aplicando medidas que os integre mais com a empresa.

Ouvir os funcionários e entender o que está causando o incômodo é o primeiro passo. Pesquisas internas e feedbacks podem ser a solução para reunir opiniões sobre o clima organizacional.

Com esse levantamento de informações será possível planejar ações para correção e melhoria dos problemas.

Os motivos que mais levam ao absenteísmo por falhas internas são:

– Liderança fraca/ineficiente

O colaborador espera que seu líder lhe dê apoio e feedbacks constantes. Um líder não deve exigir um comportamento ou resultado do seu liderado, se da parte dele falta dar o exemplo ou suporte necessário.

Uma liderança tirana também tende a afugentar os liderados, uma vez que a educação, bom senso e cordialidade são imprescindíveis para o bom convívio entre as partes.

– Clima desconfortável

Quando o ambiente de trabalho é hostil, a relação entre os colaboradores e líderes se torna enfraquecida. Conflitos podem surgir e gerar desmotivação por conta de um clima pesado e desagradável.

– Falta de plano de carreira

Se o funcionário não tem oportunidade de crescimento, ele acaba não tendo perspectivas com relação a empresa e seu interesse em se manter naquele ambiente cai, ele passa a querer buscar por outra oportunidade fora de lá.

– Metas inatingíveis

A pressão pelo alcance de metas é um dos motivos que podem afugentar os funcionários em uma empresa, principalmente se essas metas forem impossíveis de atingir.

A ideia de ser pressionado é no mínimo incômoda para muita gente, e no ambiente de trabalho não seria diferente. Esse tipo de cultura pode contribuir bastante para o absenteísmo.

– Falta ou falha na comunicação

A falta ou falha na comunicação pode trazer equívocos, mal-entendidos, além de atrapalhar o entrosamento da equipe.

Uma equipe desalinhada não consegue cumprir prazos e corre sérios riscos de cometer erros, o que desestimula, levando ao desinteresse.

– Assédio moral e sexual

O assédio moral e o sexual dentro de uma empresa são assuntos de extrema importância e gravidade. Devem ser tidos como algo inadmissível e tratados com muita atenção.

Esse tipo de situação traz sérios constrangimentos, abalos emocionais e rejeição por parte do funcionário que tende a querer se afastar do ambiente ofensivo.

– Falta de infraestrutura

Ter condições de trabalho adequadas é o mínimo que o funcionário precisa para produzir e desempenhar bem seu papel na empresa.

É fundamental poder contar com equipamentos e ferramentas necessárias e pertinentes à função, além de EPIs para evitar acidentes de trabalho, bem como a atenção voltada para a ergonomia no ambiente de trabalho.

Se a empresa não tem essas condições como prioridades, ela poderá perder seus profissionais.

Absenteísmo por enfermidade

Existem as faltas relacionadas a doenças, seja do próprio funcionário ou da família. Nesses casos a empresa deve fornecer todo apoio para que esse funcionário fique o menor tempo possível afastado.

Esse apoio vai desde suporte emocional a alguma ajuda de custo para tratamentos médicos, entre outros.

Absenteísmo não justificado

E por fim, existem as faltas não justificadas, onde funcionário se ausenta, mas não dá satisfações. Nesse caso, será preciso tomar providências mais rígidas como alertas, advertências ou dependendo do caso e da frequência, até mesmo a rescisão contratual.

O que motiva esse tipo de falta geralmente envolve imaturidade profissional, desinteresse pessoal e falta de comprometimento.

Em todos esses casos, o RH da empresa pode assumir o papel de investigar as causas e agir na raiz do problema.

Algumas estratégias para minimizar esses acontecimentos

– Contratação adequada

O processo de recrutamento e seleção deve ter como foco além da análise de habilidades e competências, também do perfil comportamental do candidato.

Isso porque, esse candidato deve ter conexão com a cultura da empresa, caso contrário, mesmo que ele atenda as expectativas em nível de produção e entrega de resultados, pode divergir com a política da empresa e em um determinado momento, se sentir insatisfeito e desinteressado.

Essa análise de perfil comportamental pode se dar através de testes específicos e relatórios sobre cada candidato.

– Coaching

O Coaching pode ajudar a desenvolver melhor a comunicação interna, além de formar líderes em uma organização.

A metodologia do processo de Coaching tem objetivos como:

– Promover o diálogo entre equipe e líderes;

– Criar programas de incentivo e planos de carreira;

– Motivação, reconhecimento e bonificações;

– Feedback

Uma boa comunicação interna é parte fundamental para evitar o absenteísmo. É por meio dela que tanto líderes quanto liderados têm a oportunidade de falar sobre pontos fortes e aqueles que precisam de melhoria.

Essa comunicação precisa dar espaço para que críticas e elogios sejam expostos e absorvidos com tranquilidade, com a finalidade de estreitar a relação entre líder e equipe, sempre em busca de transparência e do aperfeiçoamento contínuo.

– Boas condições de trabalho

Quando a empresa oferece ao colaborador equipamentos e ferramentas que contribuam para o desenvolvimento do trabalho, bem como pensam no seu bem-estar investindo em um local iluminado, silencioso e com boa ergonomia, o funcionário se sente mais valorizado e cuidado.

Além de ser extremamente importante promover um ambiente onde as pessoas se respeitam e são cordiais.

Proporcionar boas condições de trabalho é um dos pontos para que os funcionários se sintam bem e tenham satisfação em ir trabalhar. Esse cuidado fortalece o compromisso entre as partes, evitando o absenteísmo.

– Programas de incentivo e plano de carreira

Além do conhecido plano de carreira: permitir que o funcionário tenha a oportunidade de crescer e se desenvolver dentro da empresa, sendo reconhecido pelo seu bom desempenho, dedicação e compromisso, uma outra boa alternativa é criar programas de incentivo para evitar o absenteísmo por meio de premiações e bonificações.

Assim, aqueles que tiverem menos faltas e atrasos poderão ser premiados pela empresa da forma que achar mais apropriado.

Como calcular o nível de absenteísmo

O cálculo do absenteísmo mede em percentual a ausência dos funcionários da sua empresa, a partir disso é possível ter uma visão do quanto sua empresa pode estar perdendo com ausências e atrasos dos seus colaboradores.

Para calcular, basta seguir a fórmula em etapas abaixo:

1) Calcule quantas horas a equipe toda deveria trabalhar no período de um mês (sem faltas, atrasos ou saídas antes do horário).

Para este exemplo, utilizaremos a empresa fictícia Xpto Tecnologia, que possui 28 funcionários distribuídos em 2 filiais, da seguinte forma:

A filial Belo Horizonte tem 18 funcionários que trabalham 40 horas semanais (8 horas diárias) em 20 dias úteis em um determinado mês. Sendo assim, utilizaremos a seguinte memória de cálculo:

18 funcionários x 40 horas semanais x 20 dias úteis = 14.400 horas produtivas

A filial São Paulo tem 10 funcionários que trabalham 30 horas semanais (6 horas diárias) em 20 dias úteis em um determinado mês. Sendo assim:

10 funcionários x 30 horas semanais x 20 dias úteis = 6.000

Totalizando: 14.400 horas da filial Belo Horizonte + 6.000 horas da filial São Paulo = 20.400 horas

2) Some as faltas, os atrasos e as saídas antecipadas da equipe.

Exemplo:

Ao longo do mês 7 funcionários faltaram na filial Belo Horizonte e 4 na filial São Paulo, desta forma você deverá transformar os dias perdidos em horas.

Sendo, 7 dias faltados x 8 horas diárias de trabalho = 56 horas de absenteísmo no mês.

E na filial São Paulo, 4 dias faltados x 6 horas diárias de trabalho = 24 horas de absenteísmo no mês.

Totalizando: 56 horas da filial Belo Horizonte + 24 horas da filial São Paulo = 80 horas

3) Para encontrar o absenteísmo total, divida o número de horas perdidas pelo número de horas de trabalhadas e multiplique por 100. Dessa forma chegará na porcentagem de absenteísmo de toda a equipe.

Exemplo:

80 horas perdidas em um total de 20.400 horas no mês.

Sendo, 80/20.400×100 = 0,39.

0,39% = taxa de absenteísmo no mês.

4) Para saber a taxa de absenteísmo de cada filial, basta repetir as etapas calculando separadamente os valores referentes a cada uma delas.

Utilize tecnologia para facilitar a análise dos dados

Todo esse processo, seja de levantamento de informações como o índice de absenteísmo e seus motivos, ou para medir o resultado de todas essas estratégias, precisará ser analisado e nesse momento a tecnologia pode ser muito útil.

A tecnologia torna muito mais fácil fazer as devidas análises e disponibiliza apenas as informações essenciais para saber como proceder, que decisões tomar a respeito de cada caso.

Existem soluções que coletam dados, organizam, tratam e entregam apenas as informações de forma objetiva por meio de relatórios e gráficos.

Estamos falando de soluções de Business Intelligence, ou simplesmente BI, que fazem parte hoje das tecnologias mais indicadas quando o assunto é análise de dados.

Conheça mais sobre nossas soluções e entenda como funciona, fale com um consultor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *